Um leitor beta não faz a revisão do seu texto e tão pouco um leitor crítico. É preciso estudo e muito conhecimento da língua para se revisar um texto, e não somente o conhecimento que temos por sermos nativos.

O revisor não precisa ser formado em letras, mas com certeza ajuda muito, o profissional deve gostar de estudar a língua portuguesa, conhecer as mais diferentes formas de se estruturar um texto e ter grande afinidade com a gramática tradicional.

Diferentes revisores trabalham de diferentes formas e existem diferentes tipos de revisão. Aqui no Princípio Editorial trabalhamos basicamente com três formas distintas de revisão:

Revisão Gramatical: faço uma varredura no seu texto atrás de “erros de português”, mas com bom senso. Por exemplo, em um livro de ficção, um personagem jovem dificilmente falaria, “Amo-te” e sim “Te amo”, gramaticalmente está errado. A gente aprendeu láááááá na escola que não se começa uma frase com pronome oblíquo átono, certo? Pois bem, mudar tal estrutura deixa o texto artificial, então, geralmente converso com o autor para que essas e outras escolhas do tipo sejam conscientes.

Revisão Estrutural: como nome diz, verifico se a estrutura do texto está de acordo com o que ele se propõe. Um enredo, por melhor que seja, precisa ser bem escrito, a história precisa ser coerente e o texto fluído, se não a leitura perde a leveza e o leitor o interesse.

Revisão Factual: eu quase viro uma detetive, neste tipo de revisão, procuro todo e qualquer furo que a sua história possa ter, como por exemplo, diferentes grafias para o mesmo nome, ou então a idade de uma personagem que não condiz com o enredo da história, enfim, busco informação conflitante.

Acredito que vocês perceberam que muito dificilmente conseguimos dissociar esses tipos de revisão e que elas se completam. Não é um trabalho simples. Precisa de muito conhecimento, muito diálogo com o autor e principalmente, muito amor pela escrita e te garanto que isso temos de sobra no Princípio Editorial.

Espero que essas dicas te ajudem não só na escolha de um bom profissional, como também demonstrem o que envolve a revisão de um texto, nunca é só uma “lidinha”.

Abraços e até o próximo post! 

Isadora Duarte

E a Revisão?
Classificado como:                        

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *